Os resíduos sólidos no Brasil

Resíduos Sólidos | Limpeza Pública

Os resíduos sólidos têm sido uma grande preocupação para a sociedade no mundo. O crescimento da população, o desenvolvimento industrial e a urbanização acelerada, atrelados à postura individualista da sociedade, vêm contribuindo para o aumento dos recursos naturais e para a geração de resíduos. Segundo a ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), o total de RSU gerado no País aumentou 1,7%, de 78,6 milhões de toneladas para 79,9 milhões de toneladas, de 2014 a 2015, período em que a população brasileira cresceu 0,8% e a atividade econômica (PIB) retraiu 3,8%. Grande parte desses resíduos são devolvidos ao meio ambiente, de forma inadequada, levando à contaminação do solo e das águas, trazendo vários prejuízos ambientais, sociais e econômicos.

Sendo assim, um dos maiores desafios para a sociedade brasileira é o equacionamento da geração excessiva e a disposição final ambientalmente segura dos resíduos, o que torna a discussão sobre limpeza pública e manejo de resíduos sólidos, de fundamental importância para a gestão dos resíduos sólidos. A cada ano no Brasil, um volume maior de resíduos é depositado em locais inadequados, o que totaliza atualmente mais de 3.300 municípios que ainda fazem uso de unidades irregulares para destinação do lixo, gerando graves riscos ao meio ambiente e impactos diretos na saúde da população. Além disso, acabam contrariando as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos - Lei Federal 12.305/2010) e de outras Leis Ambientais.